domingo, 5 de dezembro de 2010

fogo




o grande leão aproxima

a cabeça-cometa

puro lume

desdobrando um fio

em cada raio em cada pupila

a grande boca aberta acende

um rugido miado em paralelo

:o fogo é mágico e místico:

:sem chama não haveria corpo:

o fogo ilumina o sangue alimenta

cada uma das minhas células

penetra na terra

no ar na água que transporto

dentro de mim

recolho um pensamento feito de fogo

limpo o meu sistema sagrado

como os homens de fato de treino limpam

os estofos dos seus bólides no dia do senhor

:sem fogo o corpo seria gelo:

cristais parados transparentes

aguardam que o serviço doméstico

da alma os venha descongelar

a água flui para baixo

o fogo flui para cima

deus responde

a quem sobe

ou a quem desce

ou a quem ora ?

e o que é deus ?

uma chama violeta com braços

amarelos incandescentes

a decantar as pepitas do espírito


o grande leão
aproximou-se
falou
e os seus olhos disseram chamas


confirmaram que a partir de agora






3 comentários:

Aq disse...

Que bom puder seguir-lhe o rasto aqui e continuar a encantar-me com as suas palavras escritas.

ana

paulo baeta condessa disse...

Agradeço essas palavras carinhosas. Ainda não ganhei o hábito de responder aos (poucos) comentários que recebo mas a verdade é que fico contente quando alguém me dá feedback. Este ano vou ver se começo a responder. Talvez assim as pessoas se cheguem mais à frente... e me devolvam algumas palavritas. Viva 2011.

merdinhas disse...

mais alguém a dar feedback...agora em 2012.
Intriga-me o fim desse poema...

a partir de agora?