segunda-feira, 19 de abril de 2010

rio interior







já muita terra muitos prédios muitas rezas

muitas ruas países promessas ideias conversas

muito musgo muito fumo muitas certezas

taparam as margens do meu rio interior



e junto ao fundo arenoso em movimento

os meus peixes reclamam águas limpas







4 comentários:

crelifma disse...

As palavras do Paulo continuam a surpreender-nos. A profundidade do pensamento e a subtileza da comunicação fazem-nos acreditar que a poesia é uma esperança, é um diálogo com o eu e o outro no interior do eu.
Obrigada por isso e por ter estado na nossa escola. Ainda hoje a turma 10º N2 recorda a musicalidade das taças tibetanas e me pede para repetir. O resultado desse encontro pode o Paulo ver em www.palavrastemporarias.blogspot.com

Bem haja pelo seu trabalho
esmeralda

T&V disse...

todo o muito ofusca a clarividência da mente ...
T.

Tânia Carmo Silva disse...

Tão simples e tão profundo quanto isto...

Bem-Haja!

mariam disse...

_ belo _ . o que escreve .

um sorriso :)
mariam